Estralar os Dedos

“Sempre tive uma mania incontrolável: estralar os dedos. Desde menino! Ah, aquele barulho que faziam meus dedos quando eram estralados…

Na sexta série até organizei um concurso de primeiro, segundo e terceiro lugar para quem melhor fizesse isso. Eu mesmo ganhei! Podem chamar de obsessão, mas, fato, é que não vivo se não estralar meus dedos. Vivia…

Minha professora de educação física não recomendava porque as juntas dos dedos poderiam engrossar, mas não conseguia seguir suas recomendações!

Até que no primeiro colegial o cosmos encarregou-se de colocar a Claudia na minha vida. Moça linda! Começamos a namorar e logo ela descobriu em mim um hábito que ela não suportava: estralar os dedos!

Tentei de tudo para parar. Anotei na agenda, amarrei fitinhas nos dedos para me lembrar, li livros de auto-ajuda… Desespero! Foi então que ela sugeriu que eu fosse ao médico. Fui e ele recomendou:

- Pare de estralar os dedos!

A crise no namoro aumentava! Ela já falava em termino caso eu não decidisse: Ou eu ou meus dedos! Que golpe baixo e vil!

Entrei numa intensa busca pessoal. Fiz de tudo: tai-chi, meditações, urinoterapia. Nada surtia resultado.

Até que um dia em minha casa, acordando, fui até o banheiro, vi meu reflexo no espelho e indaguei para a minha imagem refletida:

- Quem é você? Quem sou eu?? Quem somos nós???

E estralei os dedos. Nervoso, lavei o rosto e, ao passar as mãos por ele,  tive a mais majestosa das idéias: DECEPAR OS DEDOS.

Sim! Me foi óbvia a ideia de cortar o mal pela raiz. Corri até o porão, estralei os dedos e, com uma machadinha, cortei todos. Não satisfeito e, com uma certa dificuldade, cortei também as mãos. Não pergunte como.

No momento bateu uma tristeza, pois nunca mais poderia tocar piano. Apesar de nunca ter tocado, mesmo assim era um sonho.

Claudia e eu nos casamos. Foi um pouco chata a situação dela, na frente de todos, colocando a aliança no que seria o dedo anelar do meu pé… Felicidade total! Tivemos filhos…

Até que, dois anos depois, um sentimento de solidão começou a me corroer e uma vontade crescia dentro de mim: queria voltar a sentir o saboroso gostinho do ato de estralar os meus dedos.

Foi então que descobri que poderia fazer isso com os dedos dos pés! Ah, que felicidade… Mas durou pouco tempo, pois minha esposa, mais do que imediatamente, ameaçou-me pedindo o divórcio.

Não titubeei muito e, com a mesma machadinha de outrora, “tchau tchau” dedos dos pés. Todos os onze. Eu tinha polidactilia. Mas foram apenas os dedos, afinal precisava andar.

Hoje completam cinco anos do acontecido. Posso dizer que tudo está quase bem. Estou praticamente curado. Falta apenas eu cumprir os 18 anos de reclusão restantes…

Numa noite, enquanto dormia, num ataque incontrolável, decepei os dedos de Claudia… Mas quando sair da prisão, sei que ela vai me perdoar por ter feito isso com ela. E com meus filhos também!”

Texto do Oscar Filho.

About these ads
Esse post foi publicado em Bobagem, Fail, Leitura Fundamental, Povo sem noção, Sacanagem! e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Estralar os Dedos

  1. NEGAO disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK raxei de rir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s